Orquestra XXI :: FOLK SONGS

ESPETÁCULO: 30 outubro
21h nas Carpintarias

BILHETES
- 5€ até aos 25 anos, desempregados e músicos;
- 7€ sem desconto;
(à venda na porta e na BOL)

A 30 de Outubro, as Carpintarias de São Lázaro acolhem a Orquestra XXI e apresentam “Folk Songs”, um concerto informal construído em torno da obra homónima de Luciano Berio.

O programa centrar-se-á nas Folk Songs, colecção de canções tradicionais de diversos países, transcritas e reelaboradas pelo compositor italiano para voz e ensemble. A acompanhar este ciclo, a Orquestra XXI, sob direcção do maestro Dinis Sousa, interpretará ainda peças de autores-chave do repertório contemporâneo, como Tristan Murail e Karlheinz Stockhausen. As intervenções a solo ficarão a cargo de Frederica Vieira Campos (harpa), Agostinho Sequeira (percussão) e Helena Ressurreição (mezzo-soprano).

Tradicionalmente ligada aos grandes auditórios, a Orquestra XXI abre-se a novos espaços de concerto e contextos de apresentação. O concerto intimista nas Carpintarias de São Lázaro, dirigido a um público jovem e ecléctico, abordará obras como L'Attente (Tristan Murail), Vibra Elufa (Karlheinz Stockhausen) e Spaceless (Rui C. Antunes).

Estabelecida em 2013, a Orquestra XXI é um projecto que reúne jovens músicos portugueses residentes no estrangeiro com o duplo objectivo de manter uma forte ligação entre estes jovens e o seu país de origem e de levar momentos musicais de excelência a um público o mais diversificado possível.

Apresentando-se regularmente em Portugal sob a direcção do maestro Dinis Sousa, a programação da Orquestra espelha a flexibilidade dos seus músicos, abrangendo um repertório que vai da música sacra renascentista e barroca ao sinfonismo clássico e romântico, com incursões pela música dos séculos XX e XXI.
A Orquestra XXI foi distinguida com o 1.º Prémio no concurso Ideias de Origem Portuguesa da Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a Cotec Portugal, e o Alto Patrocínio da Presidência da República.
Este concerto inicia a cadência mensal do ciclo de programação de artes performativas das Carpintarias, “Aquela altura do mês”.
A acontecer uma vez em cada mês, este ciclo centra-se na disrupção e vanguarda no território das artes performativas e os seus possíveis cruzamentos. Apresentam-se trabalhos que ultrapassam zonas de conforto e convenções na criação, apresentação, ou atitude, dentro das artes performativas.


Programa:
Rui C. Antunes — Spaceless, para violino solo (2020)
Tristan Murail — L'Attente, para ensemble (1972)
Karlheinz Stockhausen — Vibra Elufa, para vibrafone solo (2003)
Luciano Berio — Folk Songs, para mezzo-soprano e ensemble (1964)

Orquestra XXI
Dinis Sousa, direcção musical
Rui C. Antunes, violino
Agostinho Sequeira, percussão
Helena Ressurreição, mezzo-soprano

Ficha técnica:
Ana Tedim, violino
Rui C. Antunes, violino
Sara Farinha, viola
Mara Lobo, violoncelo
Francisco Barbosa, flauta
Pedro Victorino, clarinete
Agostinho Sequeira, percussão
Lúcia Viana da Silva, percussão
Helena Ressurreição, mezzo-soprano
Dinis Sousa, direcção artística