ANDRÓMEDA | Luciana Fina

Curadoria: Antonia Gaeta
Parceria: Temps d'Images | Carpintarias de São Lázaro
Estreia absoluta

INAUGURAÇÃO: 21.05.2021 | 14-21h
EXPOSIÇÃO: 22.05. — 1.08.2021
Bilhete: entrada gratuita

#instalação #vídeo #televisão #cinema

Após os primeiros anos de euforia com o tubo catódico e da sua introdução massiva no espaço doméstico, abre-se um longo debate sobre o seu uso e papel na sociedade. Os anos 1960/1970 são marcantes: termina o processo de industrialização, mas não o da modernização sócio-cultural. Movimentos estudantis e de trabalhadores reivindicam o direito ao estudo, o aumento salarial e melhor qualidade de vida e de trabalho. A questione femminile opera relativamente a uma política de respeito das diferenças e de igualdade de direitos. O projecto público da RAI, que inaugura em 1961 o seu segundo canal, acompanha a mudança da sociedade propondo uma grelha de programação que promove uma maior proposta cultural, educativa e de debate sobre direitos.

Em Andrómeda, Luciana Fina trabalha exaustivamente a produção televisiva desta década, entre a documentação e a fantasia, e cria um díptico que é uma dança de primeiros planos, entrevistas, reivindicações sociais e políticas, brincadeiras de crianças e debates acesos numa Itália em plena transformação. A artista procede por associações audaciosas ao mesmo tempo que surgem lascas de memória e visões; uma infância e juventude em Itália – que é a da própria artista – o clima, incluindo o som, paisagens culturais deslumbrantes, ideias e visões de futuro.

E nestas associações, são diversas as dimensões da obra da artista que dialogam e reflectem sobre o cinema. Na primeira idade da televisão, intelectuais, cineastas e artistas observam com interesse a nova forma de proximidade com a vida de todos os dias, descobrindo uma nova gramática, re-examinando os modos de filmar e de produzir cinema, contribuindo para a criação de conteúdos do palimpsesto televisivo, ou experimentando a subversão tecnológica do televisor e, como no díptico Andrómeda, a interactividade com o espectador.

O díptico integra um CCTV para captação da imagem do público, com transmissão exclusiva e em tempo real para o espaço expositivo. Não existe gravação de imagem. A exposição integra códigos QR para a audição de textos. Convida-se o público a ser portador do seu telemóvel e headphones, para a leitura do dispositivo.


CONVERSA
sábado, 26.06 | 17h00
A conversa, inserida no ciclo de programação das Carpintarias 'Para os olhos mas não só', contará com a participação da artista Luciana Fina e José Manuel Costa, diretor da Cinemateca Portuguesa. 


Biografia
LUCIANA FINA
Nasce em Itália, vive e trabalha em Lisboa desde 1991.
Cineasta e artista visual, tem desenvolvido um trabalho que migra frequentemente da sala cinematográfica para o espaço de exposição. Após uma longa colaboração com a Cinemateca Portuguesa como programadora, realizou o seu primeiro filme em 1998, integrando a geração que deu nova vida ao documentário em Portugal. Entre 2002 e 2003, com a instalação CCM na Fundação Gulbenkian e o tríptico CHANTportraits no MNAC Lisboa, focando os temas das migrações e do retrato, deu início ao seu percurso em espaços expositivos. O extenso corpo de trabalho - filmes, instalações fílmicas e site-specific - é apresentado internacionalmente em festivais de cinema e exposições, estando representado na Colecção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian e Nouveaux Medias do Centre Georges Pompidou.


Ficha técnica
a criação de Andrómeda é dedicada a Cecilia Mangini

- Concepção e Realização:
Luciana Fina

- Curadoria:
Antonia Gaeta

- Actriz:
Francesca Totire

- Leituras:
Marcello Urgeghe, Carla Bolito, Cláudio da Silva

- Desenho e Realização de Software Interactivo:
Paolo Solcia

Consultadoria de Davide Sgalippa

- Apoio pesquisa RAI Teche:
Francesca Cadin

- Texto:
Viva Paci (Université du Québec à Montréal)

- Direcção de Produção e Gestão Administrativa LAFstudio:
Hugo Barros

- Assistente de Montagem e Realização:
Vítor Carvalho

- Cor:
João Nunes

- Mistura de som:
Pedro Góis, Kino Sound Studio

- Traduções:
José Luís Costa (Italiano); João Ayton (Francês)

- Apoio à Comunicação:
Levina Valentim

- Assessoria de Imprensa:
Sofia Bénard, Helena Marteleira e Gabriele Barcaro

- Registo Fotográfico:
Alípio Padilha

- Direcção Geral DuplaCena:
António Câmara Manuel

- Direcção Artística Festival Temps d’Images:
Mariana Brandão

- Direcção de Produção e Comunicação Festival Temps d’Images:
Ana Calheiros

- Direcção Técnica Festival Temps d’Images:
Mafalda Oliveira

- Apoio Técnico Audiovisual Festival Temps d’Images:
Jorge das Neves

- Curadoria e Programação Carpintarias de São Lázaro - Centro Cultural:
Fernando Belo e Alda Galsterer

- Produção e Comunicação Carpintarias de São Lázaro - Centro Cultural:
Ana Malta, Luísa Correia da Silva, Luís Leal, Filipe Dominguez

- Design Gráfico:
LAFstudio


Apoios e Agradecimentos

- Co-produção:
Festival Temps d'Images
Carpintarias de São Lázaro
LAFstudio

- Produção Executiva:
Horta Seca
Duplacena

- Apoio Financeiro:
Direcção-Geral das Artes/República Portuguesa | Cultura
Fundação Calouste Gulbenkian
Ambasciata d’Italia a Lisbona
Instituto Italiano de Cultura de Lisboa

- Apoios para equipamentos:
Galerias Municipais de Lisboa/EGEAC
OPART - Organismo de Produção Artística, E.P.E. | Teatro Nacional de São Carlos
CasaBranca
Teatromosca

- Apoio à publicação:
Cineclube de Joane

- Colaboração:
RAI Teche

- Media Partners:
RAI Cultura - RAI Italia
Antena 2

- Outros Apoios:
Câmara Municipal de Lisboa

- Acolhimento lectures:
Istituto Europeo di Design (Milão)
Ar.Co (Lisboa)
Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão
Universidade de Évora - Escola de Artes
Universidade da Beira Interior - Departamento de Artes


Agradecimentos
RAI Teche - Paola Sciommeri, Carla Consalvi; Fondazione Pino Pascali - Rosalba Branà, Antonio Furgis, Susanna Torres e Família Lodolo; Fondazione Pistoletto, Cittadellarte - Maria Pistoletto; SIAE (Società Italiana degli Autori ed Editori) - Antonio Musio.

Maria Pia Ammirati, Franca Cancogni, Luisa Violo, Silvana Urzini, Alessandra Cerami, Federica Apa, Lucio Ianni, Donato Surano, Lúcia Marques, Ana Bustorff Martinho, Vítor Ribeiro, Sara Velez, Vanda Gorjão, José Alberto Ferreira, Alexandra Sabino, Laurentina Pereira, Tobi Maier, Maria Manuel Ferreira, Flávia Violante, Bárbara Bulhão.


Para mais informação
Temps d'Images
www.tempsdimages-portugal.com/2021/obras/andromeda/